UICC Femama

Saúde do homem

Câncer e Emoções

Nas últimas décadas, inúmeros estudos apontaram ainda que as emoções têm relação com os índices de tumores de mama. Estados depressivos, por exemplo, podem alterar o comportamento dos glóbulos de defesa do nosso sangue, que, entre outras atividades, são responsáveis por impedir a proliferação de células que sofreram mutações, o estopim dos tumores. E você sabe: emoção e obesidade também têm uma estreita relação. Veja-se o caso da aposentada Irica Wagner Duarte, de 55 anos, uma das participantes do Projeto Mama. Ela chegou a pesar 136 quilos, mas perdeu 9,5 deles no período de um ano. "Pretendo chegar aos 90", conta. "Antes, eu andava muito depressiva, só pensava em sumir. Minha auto-estima com o emagrecimento aumentou." O que ela busca, agora, é completar um círculo virtuoso: ficar mais leve para se manter mais alegre e... comer menos ainda. Tudo isso, junto, pode diminuir a probabilidade do câncer. Encare a tristeza Grão de bico contra depressão Linhaça e câncer de mama Ginseng contra câncer de mama Prevenção de câncer Complementos Você come muito por que está deprimido? Você fica deprimido por que come muito? Cirurgia bariátrica pode ajudar Excesso de peso e câncer de mama

Voltar >>